A distinção entre arte erótica e pornografia é amplamente discutida, mas raramente acordada. Do mesmo modo, os acadêmicos têm lutado para encontrar uma teoria clara para segregar esses termos. À medida que a sociedade ocidental se torna cada vez mais liberal, os argumentos dos críticos estão se tornando mais progressistas e a arte mais experimental, enquanto a distribuição de pornografia e produtos da indústria do sexo está se tornando comum. Como resultado, a arte e a pornografia continuam a fundir.

Para muitos, a indústria pornográfica representa uma visão arcaica e ultrapassada das mulheres. Continua a promover uma ideologia de objetivação e submissão amplamente considerada anti-progressiva. Alguns escritores expressaram a preocupação de que, ao normalizar o sexo e subjugar os atores, a pornografia e a arte pornográfica podem chegar a incentivar a violência sexual.  A filósofa americana Helen Longino define o termo ‘Pornografia’ como:

“Um material verbal ou pictórico que representa ou descreve comportamentos sexuais que são degradantes ou abusivos para um ou mais participantes de modo a endossar a degradação”

Este critério geralmente se estende ao domínio da arte. Em referência ao “The Rape” 1935 de Rene Magritte, Susan Gubar (escritora americana) afirma:

Como essa imagem de fisicalidade insensata justifica violações e, assim, perpetua uma ideologia de submissão, que pode ser entendida como um perigo claro e presente para as mulheres.

Essa idéia pode ser aplicada a várias outras obras de arte; A forma feminina sem cabeça e sem braços e pernas de Hans Bellmer c.1936  “The Doll”, é um desses exemplos. Embora, é claro, esta é apenas uma das muitas interpretações possíveis.

The Doll 1936, reconstructed 1965 Hans Bellmer 1902-1975 Purchased 1969 http://www.tate.org.uk/art/work/T01157

A arte atua como um espelho para a cultura de seu tempo. À medida que nossa atitude em relação ao sexo torna-se mais inclusiva, a arte continua a incluir o sexo em seu cânone com a aceitação crescente, embora tentativa.

James Joyce teve o seu romance Ulysses 1922, banido por 10 anos devido a passagens “explícitas”, e Egon Schiele serviu na prisão para produzir desenhos eróticos; agora vemos o sexo se tornar uma conversa relevante e provocativa dentro da arte contemporânea.

Mas quanto nós consumimos pornografia dentro de nossas casas e nos recusamos a aceitar a pornografia como forma de arte?

Uma curiosidade:

Os sites pornográficos mais populares são PornHub (16 milhões de visualizações por mês) e o RedTube.
Dependendo de como o tráfego da internet é medido, a porcentagem de acessos totais pode chegar de 4% a 30%

Com opiniões opostas e  interpretações dadas sobre a arte contemporânea, muitos sentem que a única qualidade que realmente pode ser medida é a intenção por trás do trabalho.

Outros argumentam que a intenção do artista tem menos precedência do que a experiência do modelo. A  ex-esposa de Jeff Koons que estrelou  muitos anos em filmes porno  e depois seguiu carreira política estava muito confortável realizando atos sexuais em público, no entanto, até mesmo um artista profissional pode se sentir explorado:

Gostaria de ser casada com o mesmo homem por 30 anos, com muitos filhos e netos ao redor. Em vez disso, eu sou uma mulher sozinha … Fiz o que fiz e estou feliz por isso. Mas todos os homens à minha volta exploraram minha natureza sexy para me levar para a cama ou ganhar dinheiro. Como se o libertinismo sexual inevitavelmente implicasse na ausência de amor e de sensibilidade. Eu sou uma pessoa muito romântica, mas ninguém nunca percebeu … Repito, não me arrependo de nada, mas acredito que nunca fui amada. – The Independent / Ilona Staller(Cicciolina).

A experiência de Ilona Staller sugere que não era a indústria pornô que causava sua infelicidade, mas a implicação da pornografia na mente das pessoas. A própria pornografia poderia ter o potencial de ir além da simbologia da violência e da opressão feminina, como vemos no gênero relativamente novo de pornografia “feminina” produzida hoje. Da mesma forma, se a arte refletir a experiência do artista, e também ser, para muitos, um ato de auto-expressão, então o sexo como arte não deve ser desconsiderado ou censurado.

Hand On Breast.tif

Matéria Por Paulo Varella – ArteRef

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here