Nataly Aguiar: A arte contemporânea como peça fundamental no design

0
368

“Decoração é uma forma de expressar o jeito de viver de cada pessoa…”

Nataly Aguiar é a profissional de design de interiores que materializa o seu sonho, atendendo expectativas, concretizando necessidades e realizando desejos. Após trabalhar em diversos escritórios renomados em São Paulo, decidiu abrir seu próprio escritório: Nataly Aguiar Arquitetura e Interiores. O resultado são projetos contemporâneos, com linhas neutras, pontos mais coloridos e ambiente perfeito para cada cliente.

Você falou que trabalha sozinha, como é o seu trabalho?  Você faz da parte da obra até a decoração, ou somente a decoração?

Eu faço tudo, desde o primeiro contato com o cliente. Inicialmente vejo o briefing, entro na vida dele e tento entender o que ele gosta. Faço a primeira proposta em cima das idéias, organizando a decoração em cima do que o cliente quer. Uma vez aprovado, partimos para a parte executiva e básica, onde escolhemos os acabamentos, a iluminação e etc. Depois vem a parte financeira de encaixar a obra no orçamento. Eu orço com pelo menos três fornecedores, após a aprovação do cliente começa a obra. Fico em cima toda hora pois tudo que sair perfeito. Quando a obra está finalizada vemos as considerações finais e entregamos.  Depois cuido da parte de divulgação, tiro fotos e etc.

Como você costuma divulgar o seu trabalho?

Meu site está em reforma porque antes eu tinha a Duet Interiores mas agora estou mudando a minha identidade visual para Natália Aguiar. Os clientes procuram mais pelo Facebook que é o principal meio de divulgação. Dificilmente eles olham o site, mas é um meio importante e necessário para qualquer decorador e arquiteto.

Eu mando para os clientes uma apresentação com os meus projetos, com a maneira que eu trabalho e como que funciona, pois muitos que procuram não entende o que a gente faz. Acho importante essa introdução, até porque muitas vezes eu não tenho como ir até a pessoa.

Você acha difícil o processo de entender o que o cliente deseja?

Eu não tenho muita dificuldade com isso, geralmente os clientes já possuem idéias. Os que ainda não sabe o que querem são os mais difíceis, porque eu preciso entrar muito na vida particular, entender como é a rotina e o que eles gostam. Eu sempre digo que o arquiteto precisa ser um psicólogo. (risos)

Você vê uma correlação entre a arte e os seus projetos?

Sim, eu acredito que trabalhar com Design de Interiores e Arquitetura é uma arte. Todo o mobiliário, as cores e texturas… tudo isso é arte. O projeto todo é uma obra de arte.

O  que você mais precisa na hora de realizar um projeto?

Acredito que o gosto do cliente. O arquiteto tem que ser muito flexível, claro que é importante falar o que ele gosta e expressar opinião, mas ao mesmo tempo precisa alcançar a expectativa do cliente. Afinal aquele projeto é o sonho do cliente.

Mas como você define o seu estilo?

Depende muito, eu gosto de uma coisa mais minimalista, acho que menos é mais. Gosto de cores mais sóbrias, gosto muito do branco e da madeira. Acho lindo um ambiente com bastante espelho e uma cor mais pontual.

Qual a importância da arte nossos projetos? Você acha importante ir atrás de peças de arte?

Acho muito importante ter um objeto artístico no ambiente, pois é possível encontrar algo que tem muito a ver com o cliente. É uma forma de mostrar a identidade do cliente.

 Onde você busca essas peças? Você tem alguém que faz isso, você vai atrás ou deixa para o cliente?

Em cima do conceito do cliente, analisamos o que é melhor buscar. Eu mesma gosto de procurar, vejo pela internet, visito algumas galerias de São Paulo. Procuro participar de tudo, cada detalhe é importante. Tem alguns clientes que deixam na mão do arquiteto para escolher e ver o que é melhor, mas é importante que o cliente participe dessa busca.

Tem algum projeto que você idealiza fazer?

Eu tenho vontade de fazer um restaurante, um bem bacana e conceitual. Seria uma coisa bem grande que as pessoas cheguem e fiquem admiradas. Gostaria de fazer um restaurante por que é um ambiente onde as pessoas vão e se sentem bem, saem da rotina. Seria ambiente aconchegante e acolhedor. Eu gostaria de ser lembrada por um projeto.

Acho que arquitetura não é você só ir lá e fazer, é algo muito pensado.

Qual foi o projeto que mais te marcou?

Teve um apartamento que eu fiz de 325m que o cliente quis colocar uma Harley Davidson na sala. Foi um desafio, os clientes eram bem modernos e gostavam muito de obras de arte. Foi algo que me marcou, foi bem diferente eu estava no começo.

Como é a decoração da sua casa?

É muito difícil um arquiteto ter um estilo só, porque gostamos de muitas coisas (risos). Eu tento colocar tudo o que me agrada. Quando vejo novas referências e estilos vou colocando em casa, acho legal misturar as coisas, hoje em dia não é preciso seguir um padrão.

A sua trajetória e alguns dos seus trabalhos podem ser acompanhados através do seu site e da sua página no Facebook.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Conceito de design de Renata Lima
Próximo artigoA verdade expressa no ambiente de André Caricio
Estudou cinema na NTFS( UK), Administração de Empresas na FGV e Química na USP. Trabalhou com fotografia, cinema autoral e publicitário em Londres nos anos 90 e no Brasil desde então. Sua formação lhe conferiu entre muitas qualidades, uma expertise em estética da imagem, habilidade na administração de conteúdo e pessoas e conhecimento profundo sobre materiais. Por muito tempo Paulo participou do cenário da produção artística em Londres, Paris e Hamburgo de onde veio a inspiração para iniciar o Arteref no Brasil: Um local para unir pessoas com um mesmo interesse, a arte contemporânea. Faz o contato e organiza encontros com os curadores, artistas e colecionadores que representam o conteúdo do qual falamos no News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here