6 dicas para ser um bom colecionador de arte

0
42

Mesmo sendo uma prática desde as antiguidades, um efervesceste mercado de arte no Brasil criou uma nova geração encantada com as possibilidades de encontrar artistas em ascensão e com potencial alto valor. Com tantas maneiras diferentes de descobrir essas peças, por onde é que se começa?

Mas tenha em mente que não há arte certa ou errada e não há maneira certa ou errada de comprar ou colecionar arte. Qualquer um pode colecionar tudo o que quiser colecionar e comprar qualquer arte que quiser comprar, onde e quando quiser comprar, por qualquer motivo que decidir comprar, e pela quantia que quiser gastar. Em outras palavras, essas sugestões não são necessariamente para todos, mas destinam-se a pessoas que gostam de gastar seu dinheiro com sabedoria e que preferem pagar preços justos para uma arte de qualidade.

“não há arte certa ou errada e não há maneira certa ou errada de comprar ou colecionar arte”

 

1- Fazer sua própria pesquisa.

  • É recomendável aprender sobre arte e artistas para que as suas escolhas sejam próprias. Quando você não conhece o mercado muito bem é fácil se atrair pelo que está em alta, especialmente nas redes sociais.
  • Faça as seguintes perguntas a si mesmo ao ver uma arte que tenha gostado muito e a queira para você: quem é o artista e qual a sua história e bagagem? Quão significante ou importante é a arte? Onde a arte esteve e quem já a possuiu? O preço a ser pedido pela obra é justo?
  • Abra-se a novas ideias e descubra o tipo de arte que você gosta, e a melhor maneira de fazer isso é ver um monte de arte. Visite museus e galerias, fale com outros colecionadores e artistas. Tente se familiarizar com vários períodos, movimentos e estilos.

2 – Qualidade, e não quantidade.

  • Invista em poucas peças mas que possuam alta qualidade. Qualidade deve estar acima na sua decisão, mas lembre-se que um trabalho desenvolve importância histórica com base em sua crítica e aclamação na comunidade artística, o que pode levar tempo.
  • É melhor colecionar devagar e com foco ao invés de se apressar e ter uma abordagem meramente decorativa. Arte é para a vida toda.
  • Primeiro definia um orçamento e, em seguida, investir em grandes obras dentro dessa faixa de preço.

3 – Visitar as casas de leilão online.

  • Muitas grandes casas de leilão têm consultores que combinam com compradores e vendedores privados e aconselham sobre vendas de leilão.
  • E você ainda pode aprender uma coisa ou duas coisas nos leilões, mesmo se você não vai comprar.
  • Algumas pessoas estão assistindo as vendas apenas para avaliar as tendências de preços e popularidade do artista.
  • A ascensão dos sites de arte é outra grande tendência que ajuda os aspirantes a compradores. Especialistas também dizem que estas plataformas de transações online podem eventualmente aumentar a valorização da arte, porque eles agregam liquidez à parte inferior do mercado.
  • Peça uma cotação dos custos ocultos como envio, enquadramento e seguro ao comprar em casas de leilão.

 

4 – Com um orçamento apertado? Atente para as edições.

  • As peças de edição são produzidas por um artista para permitir que os colecionadores comprem por um preço mais baixo.
  • Algumas lojas de museu oferecem trabalhos de artistas que exibem, como o Instituto de Artes Contemporâneas de Londres.
  • Lojas independentes da internet oferecem novas edições a cada semana de talentos emergentes, estas peças são mais baratas e têm um grande potencial para aumentar em valor e levando a ganhos futuros.
  • Você tem acesso aos artistas mais cobiçados do mundo através destes portais também.
  • Você pode pedir um desconto na compra de uma obra de arte em uma galeria. Não custa perguntar “Esse é o seu melhor preço?”.
  • Galerias muitas vezes dão descontos para os colecionadores que já adquiriram uma série de obras deles, ou talvez a galeria esteja interessada em desenvolver um novo relacionamento.

 

5- Participar de grandes eventos de arte.

  • São onde curadores selecionam a nova geração de artistas e destacam seus trabalhos, muitas vezes agindo como grandes determinantes do gosto e liderando indicadores para o resto da área.
  • Vá ver o máximo que puder – em galerias, museus e feiras de arte. Quanto mais arte você vê, mais você desenvolverá um juízo claro. O conhecimento pode ajudar a contextualizar as coisas, mas a experiência não é um pré-requisito.
  • Marc Glimcher, presidente da Pace Gallery, diz: “Vá primeiro a um museu e veja o que lhe fala. Identifique qual segmento de história da arte é significativo para você antes de ir às galerias ou ao leilão. “

 

6 – Compre o que você ama.

  • Confie no seu coração e confie na sua compra.
  • É importante tentar ver pessoalmente a peça que está considerando. As coisas parecem diferentes em uma fotografia ou jpeg.
  • Você terá que viver com a obra de arte que comprou, então é melhor comprar aquela que mais lhe agrade.

 

Via VogueBBCForbes e New York Times. Caso queira se aprofundar mais sobre o assunto, leia o livro “The Art of Buying Art: How to Collect Art” acessando o ArtBusiness.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here